«não pode estar de joelhos, com o chapéuzinho na mão, aguardando recursos financeiros e administrativos» para funcionar.