A PSP vai reforçar a segurança aeroportuária numa altura em que se regista um acréscimo de viajantes, depois de terem passado em julho, por Lisboa, dois milhões de passageiros.

A Operação Pégasus II, a segunda deste ano, teve início às 00:00 e prolonga-se até às 24:00, nos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro, Beja, bem como nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira, estando a polícia especialmente atenta à posse de armas, estupefacientes, artigos roubados e aos cidadãos em situação ilegal, salientou o porta-voz da direção nacional da PSP, Paulo Flor, em declarações à Lusa.

A operação "pretende acima de tudo conferir uma maior visibilidade à nossa intervenção no âmbito da segurança aeroportuária, quer na parte internacional dos aeroportos, quer na parte nacional onde as pessoas estão mais habituadas a ter um contacto mais próximo com a Polícia de Segurança Pública, nomeadamente nas chegadas e partidas dos terminais e nos acessos às infraestruturas aeroportuárias”, adiantou.

Neste período de 24 horas será dado “um especial enfoque a tudo o que tem a ver com a dinâmica operacional”, designadamente os terminais de bagagens, rastreios de raios-X nas partidas, e zonas de embarque com utilização de cães.

A ação vai incidir também na deteção, identificação e monitorização “de todas as pessoas que, em razão da sua escolha de viagem ou da sua proveniência”, suscitem suspeitas de estar em situação irregular em território nacional, em articulação com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Paulo Flor lembrou que Agosto é “por norma, um mês forte em termos de partidas e chegadas nos principais aeroportos” e assinalou que, no mês de julho, só o aeroporto de Lisboa registou um movimento de dois milhões de passageiros, “algo que é inédito na história recente”.

Paralelamente serão promovidas ações de sensibilização e de informação ao público nos locais de maior concentração de pessoas, para “sensibilizar os cidadãos para os cuidados a ter quando viajam de avião”, segundo um comunicado da PSP.