O Tribunal de Média Instância Criminal de Aveiro condenou um português a dois anos e quatro meses de prisão por auxílio à imigração ilegal , informou esta terça-feira o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

A pena, aplicada igualmente pelo crime de falsificação de documentos de forma continuada, foi suspensa por igual período de tempo, acrescentou o SEF.

O individuo foi proprietário de um restaurante e a coberto disso assinou perto de 20 contratos de trabalho com cidadãos estrangeiros que se deslocavam ao respetivo país de origem para solicitarem visto de trabalho, refere um comunicado do SEF.

Segundo o SEF, quando os imigrantes regressavam a Portugal com os vistos de trabalho do país de origem o restaurante já não existia e os terrenos já tinham sido vendidos.

Os estrangeiros referiram que o proprietário do restaurante cobrava entre 700 e 1000 euros por cada contrato de trabalho que assinava.