O Tribunal Judicial de Ponta Delgada, nos Açores, começa a julgar na terça-feira um auxiliar de ação educativa de uma escola do 1.º ciclo acusado de 76 crimes de abuso sexual de seis crianças o ano passado.

Segundo o despacho de acusação, a que a Lusa teve acesso, o arguido, de 29 anos, terá aliciado os menores com menos de 14 anos “com pequenas quantias em dinheiro”, um, dois ou ainda três euros, “em contrapartida dos atos sexuais praticados”.

Uma das primeiras situações apontadas no despacho do Ministério Público (MP) refere-se a julho de 2015, quando o arguido terá abordado um dos menores nas traseiras de uma estufa localizada no interior da escola.

Cinco dos menores frequentavam a escola onde o arguido trabalhava, na freguesia das Sete Cidades, concelho de Ponta Delgada, enquanto uma outra vítima estuda noutro estabelecimento de ensino, lê-se no despacho.

O MP adianta que o auxiliar de ação educativa abordava alguns dos menores através de mensagens enviadas pela rede social Facebook.

A acusação sustenta que o homem, preso preventivamente desde dezembro de 2015, quando foi detido, “agiu sempre livre, voluntária e conscientemente, no propósito de satisfazer os seus instintos sexuais”.

Além dos 76 crimes de abuso sexual, o arguido vai responder ainda por um crime de ameaça agravada, dado que terá coagido um dos menores a não contar à mãe os atos sexuais praticados.

A maioria dos menores prestou declarações para memória futura.

O julgamento está previsto começar às 09:30 (mais uma hora em Lisboa) e vai realizar-se à porta fechada.