A Associação Sindical dos Funcionários Judiciais (ASFIC/PJ) inicia na quarta-feira uma greve ao trabalho suplementar e às unidades de prevenção, em protesto contra a não aprovação pelo Ministério da Justiça do estatuto profissional da classe.

Em declarações à agência Lusa, Carlos Garcia revelou que a ASFIC vai divulgar hoje, antes da cerimónia do 69º aniversário da Polícia Judiciária (PJ), marcada para as 15:30, uma carta aberta enviada à ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, em que se sublinha que não foi cumprida a promessa governamental feita à oito meses de aprovação do estatuto profissional dos investigadores criminais.

Carlos Garcia entende que o facto de não haver ainda um estatuto profissional dos funcionários da investigação criminal é «também da responsabilidade da atual direção da Polícia Judiciária».

«Sentimos que vivemos uma polícia que definha, sem liderança, sem estratégia, sem objetivos», criticou o presidente da ASFIC, observando que a greve, a iniciar às 00:00 de quarta-feira, pode afetar praticamente tudo, porque, a partir das 18:00, haverá apenas o serviço de piquete, que às vezes chega a funcionar com apenas um funcionário.

Segundo o pré-aviso do protesto, a greve será por tempo indeterminado.

A cerimónia de aniversário da PJ, marcada para a nova sede da Polícia Judiciária, em Lisboa, contará com a presença da ministra da Justiça.