O Tribunal de Santarém condenou esta quarta-feira, por furto de um automóvel, a uma pena de um ano e três meses de prisão, com pena suspensa pelo mesmo período, um jovem suspeito de dezenas de crimes idênticos em Rio Maior, Alpiarça e Nazaré, refere a Lusa.

O arguido, que faltou à leitura do acórdão mas esteve representado pela sua defensora oficiosa, foi absolvido do crime de dano, tal como os outros dois jovens, absolvidos tanto dos ilícitos de furto, como de dano, por «dúvida», segundo a juíza.

O caso remonta a Maio de 2007, quando os três arguidos foram identificados em Fazendas de Almeirim, concelho de Almeirim, pela GNR local, numa viatura roubada, sem que qualquer um deles tivesse habilitação legal para conduzir, por serem menores.

Segundo o acórdão, o principal arguido, que tinha 16 anos na altura dos factos, utilizava «uma colher de café cortada pela parte da concha» para abrir e colocar a trabalhar a viatura, avaliada em 8.500 euros, e da qual furtou ainda o auto-rádio.

Salientando não existirem «provas directas», a juíza sublinhou que as «provas indirectas» são «suficientes e inequívocas de que o arguido foi o autor da subtracção da viatura», justificando a pena de prisão de um ano e três meses, com os seus antecedentes criminais, duas condenações por condução ilegal, e a «frequência com é acusado de crimes contra o património», excluindo, no entanto, inclui-lo no regime especial para jovens.

Além deste caso, o jovem é arguido em outros processos, pelo mesmo crime, no Tribunal de Santarém e Rio Maior.