O Ministério Público comunicou esta terça-feira a abertura de um inquérito à eventual violação de segredo de justiça no âmbito da investigação que levou à detenção do ex-primeiro-ministro José Sócrates e outros três arguidos.

«O MP, sempre que tem conhecimento de factos susceptíveis de integrarem o crime de violação do segredo de justiça, age em conformidade. Nestes termos, e na sequência de notícias veiculadas por diversos órgãos de comunicação social, foi decidido instaurar um inquérito onde se investiga toda esta factualidade», refere uma resposta da Procuradoria-Geral da República enviada à Lusa.


José Sócrates, indiciado de fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais, foi detido na sexta-feira, no desembarque do avião que o transportou de Paris até Lisboa, encontrando-se em prisão preventiva no Estabelecimento prisional de Évora.

Infografia: José Sócrates pode ficar em prisão preventiva até 2018. Os prazos explicados passo a passo

O motorista do ex-governante, João Perna, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e Carlos Santos Silva foram detidos na quinta-feira, igualmente suspeitos da prática de crimes económicos.

Reportagem: Segunda-feira foi um dia longo. Catorze horas no Campus de Justiça. As histórias cá fora enquanto se aguardava pela decisão dentro do tribunal

Na noite de segunda-feira, o Tribunal Central de Instrução Criminal decretou a prisão preventiva a José Sócrates, João Perna e Carlos Santos Silva e a obrigatoriedade de apresentação bissemanal no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), proibição de ausência para o estrangeiro e proibição de contactos com os outros arguidos a Gonçalo Ferreira.

A cronologia dos acontecimentos desde a detenção de José Sócrates

José Sócrates está indiciado por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção, sendo esta a primeira vez que é aplicada a prisão preventiva a um ex-primeiro-ministro em Portugal.

O antigo primeiro-ministro já passou a noite na cadeia de Évora, uma prisão especial onde se pode aprender a fazer tapetes de Arraiolos, que alberga presos das forças de segurança essencialmente e, agora, um ex-primeiro-ministro. Um inédito em Portugal. José Sócrates é o preso nº44 e esta terça-feira recebeu a visita da ex-mulher

Sócrates: 10 momentos de uma carreira de suspeitas

Em menos de uma semana, a vida de José Sócrates levou uma reviravolta. A Octapharma, a farmacêutica para a qual o ex-governante fazia trabalho de consultadoria, acabou de cessar o vínculo com José Sócrates

Têm sido várias as reações à detenção de José Sócrates:

António Costa: «Nada disto penaliza e afeta as convicções do PS»
PSD prefere não comentar a detenção de Sócrates
Jerónimo de Sousa não quer fazer julgamentos precipitados
Arménio Carlos: «Importante é a celeridade do processo»
Marinho e Pinto: «Em Portugal abusa-se da prisão preventiva»

Pedro Silva Pereira: «Este é um momento difícil»