«O sistema vive da cobardia dos políticos, da cumplicidade de alguns jornalistas, do cinismo das faculdades e dos professores de Direito e do desprezo que as pessoas decentes têm por tudo isto».



«Prende-se para calar»

«Prende-se para melhor se investigar.
Prende-se para humilhar, para vergar.
Prende-se para extorquir, sabe-se lá que informação.
Prende-se para limitar a defesa; sim, porque esta pode ‘perturbar o inquérito’». 
Mas prende-se, principalmente, para despersonalizar. Não, já não és um cidadão face às instituições, és um ‘recluso’ que enfrenta as ‘autoridades’: a tua palavra já não vale o mesmo que a nossa. Mais do que tudo – prende-se para calar».
 

«Na prisão da opinião pública»





«Sim – pergunta clássica – quem nos guarda dos guardas? Silêncio. ‘As instituições estão a funcionar’».