O ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, lamentou hoje a morte de mais um bombeiro no país, realçando que, devido aos incêndios, Portugal perdeu «três mil milhões de euros» na área da floresta, na última década.

A floresta, disse, é «uma das áreas de maior valor económico» para o país, representando «2% do nosso Produto Interno Bruto (PIB)».

«Mas, por via dos incêndios, nos últimos 10 anos, destruímos três mil milhões de euros, valor económico da floresta», sublinhou.

Um prejuízo económico «para lá, naturalmente, das vidas que, infelizmente, se vão perdendo no combate aos incêndios florestais, como, infelizmente, foi notícia novamente hoje», lamentou.

O ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia falava, hoje de manhã, durante a Universidade de Verão do PSD, que está a decorrer, desde segunda-feira, em Castelo de Vide (Portalegre).

Jorge Moreira da Silva, que é também vice-presidente do PSD, aludia à morte do bombeiro Bernardo Figueiredo, 23 anos.

O bombeiro ficou ferido durante o incêndio na Serra do Caramulo, na passada quinta-feira, e morreu hoje de madrugada, o que eleva para quatro as mortes em combate registadas este ano.

Na Universidade de Verão do PSD, Jorge Moreira da Silva deu uma aula sobre «Ambiente e Energia, o que temos de decidir já».

A iniciativa, que conta este ano com 100 alunos, decorre até domingo, sendo encerrada pelo líder social-democrata e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.