O secretário-geral da Juventude Socialista (JS) considerou hoje que a Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidade (PACC) para os professores, com cinco ou menos anos de atividade, é uma «bizarria e provocação» aos jovens profissionais.

«Os jovens estão fartos de ficar na berma da estrada. A prova de avaliação dos professores é uma bizarria, mas torna-se uma clara provocação e expressão de arrogância quando aplicada aos jovens professores de Portugal, da unanimemente considerada geração mais qualificada de sempre», afirmou João Torres.

Em comunicado, o líder da JS acusa o Governo da maioria PSD/CDS-PP de incompetência, em virtude das suas «políticas educativas», as quais considerou que «instigam um brutal conflito social e de gerações» em Portugal.

Ainda segundo o militante socialista, o executivo de Passos Coelho e Paulo Portas tem uma «matriz ultraliberal que despreza a Escola Pública e o seu papel inequívoco na qualificação da população e no reforço da igualdade, nomeadamente com propostas como o cheque-ensino».

«O ministro Nuno Crato ficará para a história como o ministro que faz a Educação andar para trás, retrocesso após retrocesso», concluiu João Torres, referindo-se aos últimos dados revelados pelo especializado relatório PISA.