João Araújo, um dos advogados de José Sócrates, não acredita que o antigo primeiro-ministro vá ficar em prisão preventiva até se esgotar o prazo. O advogado esteve no Jornal das 8 da TVI, onde sublinhou que a resposta à carta rogatória enviada às autoridades suíças para averiguar a titularidade de contas bancárias nunca refere o nome de José Sócrates.
 

“Nunca foi identificado o nome de José Sócrates em nenhuma transferência de nenhuma dessas contas”, evidenciou João Araújo.

 

“O engenheiro José Sócrates não tem o dinheiro que dizem que ele tem, não foi corrompido, não corrompeu ninguém, não recebeu dinheiro do Grupo Lena e nunca favoreceu o Grupo Lena. Aliás, o Grupo Lena sofreu durante a governação de José Sócrates e só se reergueu depois de Sócrates sair do Governo”.

 
O advogado disse não estar preparado para o seu cliente continuar em prisão preventiva: «Não estamos preparados para mais um único dia de prisão preventiva».
 

“Seria um insulto e uma ignomínia da Justiça portuguesa.”

 
Sobre alegados os nomes de código usados pelos arguidos para se referirem ao dinheiro, Araújo garante que “os factos serão verdadeiros, mas a interpretação não é a que a acusação lhes dá.”