Uma jovem de 16 anos, de Guimarães, está desaparecida desde a noite de sexta-feira, um caso que já foi participado às autoridades policiais, disse hoje a mãe.

Segundo Cristina Santos, a filha, antes do desaparecimento, ter-se-á queixado de que estaria a ser “seguida” há uns dias por um rapaz “alto, de cabelo preto”.

A jovem frequentava um curso vocacional na Escola Secundária Francisco de Holanda e, na altura do desaparecimento, estava a terminar um estágio num jardim-de-infância.

Na noite de sexta-feira, participou na festa de final de ano dos alunos desse jardim-de-infância, mas já não regressou a casa.

“Vestia umas calças de ganga e uma camisola castanha”, acrescentou a mãe que disse ainda que “não lhe conhecia qualquer namorico”.

“Não acredito que tenha ido embora por sua livre vontade”, acrescentou.


Cristina Santos garantiu que, no domingo, recebeu uma série de chamadas anónimas no seu telemóvel, “mas do outro lado ninguém falou”.

“Apenas se ouvia alguém a respirar, nada mais”, referiu.


O caso já foi participado à PSP. Numa entrevista ao Guimarães Digital, a mãe diz ainda que a filha disse à irmã que "sentiu medo".