A procuradora-geral da República foi interpelada esta segunda-feira pelos jornalistas para comentar o caso José Sócrates. Joana Marques Vidal não entrou em considerações e remeteu informações para um momento mais oportuno:

«Oportunamente os senhores jornalistas irão ter acesso – bem como todos os portugueses – a esse tipo de informação», afirmou, respondendo a se a detenção do ex-primeiro-ministro lhe tinha sido solicitada e se, sem relação ao segredo de justiça, quantos processos estarão a ser investigados.

Joana Marques Vidal respondeu daquela forma aberta às duas perguntas, prometendo, então, informações para mais tarde.

Aproveitou para convidar os jornalistas a assistir à exposição dos «colegas magistrados» que ela própria foi visitar esta segunda-feira. 

Recorde-se que, no dia 25 de novembro, o Ministério Público comunicou a abertura de um inquérito à eventual violação de segredo de justiça, precisamente no âmbito da investigação que levou à detenção de José Sócrates e outros três arguidos.