Um português foi detido este domingo numa operação policial espanhola e marroquina destinada a desmantelar uma rede internacional de captação de jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico, que operava sobretudo nestes dois países, anunciou a polícia espanhola.

O cidadão português é um dos dez detidos no decorrer da operação, que teve lugar em Espanha e em Marrocos.

Os 10 detidos - quatro em Espanha e seis em Marrocos - faziam parte de uma rede internacional ativa de captação, doutrinamento radical, recrutamento e apoio logístico da organização extremista DAESH [acrónimo árabe para o autodenominado Estado Islâmico], indicou em comunicado a polícia espanhola.

"Os detidos em Espanha são duas mulheres de nacionalidade marroquina e dois homens: um deles de origem marroquina com nacionalidade espanhola e o outro um muçulmano convertido, de nacionalidade portuguesa. Todos formavam parte ativa de uma rede com dimensão internacional que operava principalmente em Espanha e Marrocos".


Segundo as autoridades espanholas, "os detidos desempenhavam um papel dinâmico na radicalização e recrutamento de novos membros do DAESH, principalmente mulheres".

Os quatro detidos em território espanhol - incluindo o cidadão português - foram apanhados nas localidades de Toledo, Barcelona e Valência. A polícia espanhola não especificou onde foi detido o cidadão português, nem idade e local de origem.

A rede mantinha contacto com operacionais terroristas em zonas de combate, o que lhes "permitia dispor de dados em tempo real das circunstâncias que facilitavam ou impediam a deslocação de voluntários para engrossar as fileiras do DAESH".