O primeiro presidente do Governo Regional da Madeira, Jaime Ornelas Camacho, morreu na terça-feira, no Funchal, aos 95 anos, informou hoje fonte do Hospital Dr. Nélio Mendonça, onde o político se encontrava internado há alguns dias.

Por vontade da família, o hospital não revelou a causa da morte, adiantando apenas que o antigo presidente da Região Autónoma da Madeira morreu cerca das 23:00 horas do dia 23 de fevereiro (terça-feira).

Nascido em 1921, na freguesia do Curral das Freiras, concelho de Câmara de Lobos, Ornelas Camacho era engenheiro civil de profissão e foi eleito primeiro presidente da Região Autónoma da Madeira em 1976, tendo desempenhado o cargo até 1978, ano em que foi substituído por Alberto João Jardim.

Depois, e até 1980, exerceu a função de secretário regional do Equipamento Social.

O seu desempenho na Administração Regional ao longo dos anos foi motivo de reconhecimento público, tendo sido agraciado com diversas condecorações, das quais se destaca a atribuição, pela Assembleia Legislativa da Madeira, da Medalha de Mérito e, em 2001, da Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

Jaime Ornelas Camacho foi membro destacado do PSD/Madeira, mas encontrava-se retirado da política ativa há vários anos.

Miguel Albuquerque lamenta

O presidente do Governo da Madeira, Miguel Albuquerque, lamentou a morte do primeiro presidente do executivo regional, sublinhando ter sido uma pessoa “de integridade absoluta” e a quem a Região Autónoma “muito deve”.

“Tive conhecimento hoje de manhã, quando cheguei ao Governo”, disse Miguel Albuquerque à agência Lusa, sublinhando que se tratava de “um grande amigo e [de] uma pessoa a quem a Madeira muito deve”

Referindo que o antigo presidente do Governo Regional era “uma pessoa de uma integridade absoluta, um grande servidor público e que teve um papel decisivo na matriz da autonomia política” da Madeira, Miguel Albuquerque afirmou querer “apresentar as condolências e prestar a devida homenagem a uma personalidade ímpar”.

A presidência do Governo Regional da Madeira também emitiu uma mensagem de pesar pela morte de Jaime Ornelas Camacho, classificando-o como uma das "figuras históricas madeirenses de maior prestígio".

"O engenheiro Ornelas Camacho ocupou, com elevado grau de responsabilidade e de defesa dos interesses dos madeirenses e porto-santenses, um cargo extremamente difícil numa altura de mudança e de conquista da Autonomia", refere o voto de pesar emitido em nome de todo o executivo regional.