“A greve [de quinta e sexta-feira] mantém-se, o sindicato não foi contactado pelo conselho de administração e a verdade é que não estão cumpridos os nossos objetivos”, afirmou um dirigente sindical, que preferiu não ser identificado.







“Há vários anos que alguns serviços médicos, no respeito integral da lei em vigor (DL62/79) gozam o descanso compensatório no seguimento do trabalho realizado durante a noite dos dias de semana, com a concordância do Conselho de Administração”, refere.