O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para esta terça-feira céu geralmente limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade em alguns locais do litoral até ao meio da manhã.

O vento tende a soprar em geral fraco do quadrante oeste, soprando moderado de noroeste no litoral oeste, em especial durante a tarde. Nas terras altas, o vento soprará fraco a moderado do quadrante oeste.

Está ainda prevista uma descida da temperatura mínima no interior das regiões Centro e Sul.

Quanto às temperaturas, as máximas vão oscilar entre os 23 graus Celsius no Porto e Viana do Castelo, as cidades mais frias, enquanto Castelo Branco será a cidade mais quente com máximas previstas de 35.

Em Lisboa, vão variar entre 17 e 28 graus Celsius, em Bragança entre 13 e 32, em Viseu entre 13 e 30, em Coimbra 16 e 27, na Guarda 13 e 29, em Castelo Branco 17 e 35, Portalegre entre 17 e 33, Évora 16 e 34, Beja entre 17 e 34, em Faro 21 e 28, em Santarém entre 16 e 30, no Funchal entre 21 e 26, em Ponta Delgada entre 20 e 25, em Angra do Heroísmo entre 19 e 25 e em Santa Cruz das Flores entre 19 e 24.
 

Quase todas as regiões do país em risco muito alto de exposição à radiação ultravioleta


O risco de exposição à radiação ultravioleta (UV) está hoje muito alto em grande parte do território português, com as regiões do centro e sul do país a atingir o nível 10.

De acordo com o IPMA, Aveiro, Beja, Bragança, Braga, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Penhas Douradas, Porto, Portalegre, Sagres, Santarém, Setúbal, Sines, Viana do Castelo, Viseu e Vila Real registam um índice de UV muito alto (entre 8 e 10).

Porto Santo e Funchal, na Madeira apresentam também risco de exposição muito alto aos raios UV, enquanto Ponta Delgada, nos Açores, o risco é apenas moderado.

Os índices UV variam entre menor que 2, em que o UV é Baixo, 3 a 5, Moderado, 6 a 7, Alto, 8 a 10, Muito Alto e superior a 11, Extremo.

Para o risco muito alto (8 a 10) recomenda-se a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, t-shirt, guarda-sol e protetor solar, sendo de evitar a exposição das crianças ao sol.

As medidas de proteção aconselhadas para o risco alto (entre 6 e 7) passam pelo uso de óculos de Sol com filtro UV, chapéu, t-shirt e protetor solar.
 

Seis concelhos de Portugal continental com risco muito elevado de incêndio


Seis concelhos de três distritos do centro de Portugal continental e Monchique, em Faro, apresentam hoje risco máximo de incêndio, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) na Internet.

De acordo com o IPMA, o concelho de Monchique, no distrito de Faro e Vila de Rei, Sertã e Oleiros (Castelo Branco), Mação (Santarém) e Pampilhosa da Serra (Coimbra) estão em risco máximo de incêndio hoje.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

O restante mapa de Portugal encontra-se ‘pintado” a vermelho no litoral sul e a sul do continente em algumas regiões do centro interior, passando a laranja e amarelo no restante território nacional. Os concelhos do distrito de Braga e Reguengos de Monsaraz e Moura, no Alentejo, encontram-se a verde.

A cor vermelho corresponde a risco de incêndio muito elevado, laranja elevado e amarelo a moderado, enquanto a cor verde refere que o risco de incêndio é reduzido.

Na segunda-feira, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 383 incêndios que foram combatidos por 9.085 operacionais, com o apoio de 2.311 meios terrestres e 191 aéreos.