Cinco distritos de Portugal continental e o arquipélago da Madeira estão esta sexta-feira sob ‘aviso amarelo’ devido à persistência de valores elevados da temperatura máxima, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O aviso é váliso para Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja até às 21:00 de hoje. Também o distrito de Faro está sob ‘aviso amarelo’, mas até às 21:00 de sábado.

O Instituto colocou ainda sob ‘aviso amarelo’ devido ao tempo quente o arquipélago da Madeira até às 21:00 de hoje.

O ‘aviso amarelo’, o terceiro mais grave, significa situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O IPMA prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade até ao início da manhã, persistindo em alguns locais do litoral oeste até meio da manhã e possibilidade de ocorrência de períodos de chuva fraca ou chuvisco no litoral das regiões Norte e Centro até ao início da manhã.

A previsão aponta ainda para vento fraco a moderado de noroeste, soprando moderado, por vezes com rajadas até 55 quilómetros por hora, no litoral oeste a sul do Cabo Carvoeiro a partir da tarde e sendo moderado a forte nas terras altas.

Está também prevista neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais, pequena subida da temperatura mínima no litoral das regiões Norte e Centro e pequena descida da máxima no interior das regiões Norte e Centro.

Na Madeira prevê-se céu em geral pouco nublado, vento fraco a moderado do quadrante leste e pequena subida da temperatura máxima.

Para os Açores prevê-se períodos de céu muito nublado com boas abertas e vento moderado a bonançoso.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 18 e 29 graus Celsius, no Porto entre 17 e 24, em Viseu entre 14 e 30, em Vila Real entre 15 e 29, em Bragança entre 15 e 33, na Guarda entre 14 e 29, em Coimbra entre 18 e 28, em Castelo Branco entre 18 e 36, em Portalegre entre 19 e 35, em Santarém entre 17 e 32, em Évora entre 16 e 36, em Beja entre 15 e 37 e em Faro entre 20 e 35.

 

Todo o país com risco 'muito elevado' de exposição à radição UV

Todas as regiões de Portugal continental apresentam risco ‘muito elevado’ de exposição à radiação ultravioleta (UV), ainda de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Também os arquipélagos da Madeira e Açores (com exceção de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel que está com níveis ‘elevados’) apresentam hoje risco ‘muito elevado’ de exposição à radiação UV.

Para as regiões com risco 'muito elevado', o IPMA recomenda o uso de óculos de sol com filtro UV, chapéu, ‘t-shirt’, guarda-sol e protetor solar, além de desaconselhar a exposição das crianças ao sol.

Os índices UV variam entre 1 e 2, em que o UV é 'baixo', 3 a 5 ('moderado'), 6 a 7 ('elevado'), 8 a 10 ('muito elevado') e superior a 11 ('extremo').

 

50 concelhos do continente em risco 'máximo' de incêndio

Mais de 50 concelhos dos distritos de Castelo Branco, Faro, Portalegre, Santarém, Coimbra, Leiria, Guarda, Vila Real, Viseu e Bragança estão em risco ‘máximo’ de incêndio.

Entre estes está o concelho de Nisa, no distrito de Portalegre, que está a ser afetado por incêndios.

Além dos mais de 50 concelhos em risco ‘máximo’ de incêndio, o IPMA colocou também em risco ‘muito elevado’ e ‘elevado’ vários concelhos dos 18 distritos de Portugal continental.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre "Reduzido" e "Máximo".

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.