O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) informou, nesta quarta-feira, que o ciclone tropical Alex deve atingir os Açores no final do dia de quinta-feira, situação que pode originar fenómenos extremos de chuva, vento e agitação marítima.

O ciclone desloca-se a 22 quilómetros/hora, vai provocar vento na ordem dos 100 quilómetros/hora e ondas até oito metros, refere o IPMA.

Em declarações à agência Lusa, pelas 20:00 (mais uma hora em Lisboa), a meteorologista Vanda Costa, da delegação regional dos Açores do IPMA, informou que o ciclone tropical “está sensivelmente a 1.260 quilómetros sul-sudoeste dos Açores, a deslocar-se para nordeste”.

“Nas próximas 48 horas deve manter a sua força e chegará aos Açores no final do dia de quinta-feira, prolongando-se até sexta-feira”, adiantou Vanda Costa, referindo que se prevê que o ciclone tropical atinja os grupos central (ilhas do Faial, Pico, Terceira, Graciosa e São Jorge) e oriental (São Miguel e Santa Maria) do arquipélago.

A meteorologista explicou que um ciclone é “uma depressão cujos ventos atingem velocidade elevada e, por norma, inclui precipitação”, salientando que “é uma situação que poderá originar fenómenos extremos de chuva, vento e de agitação marítima”.

Segundo Vanda Costa, “este ciclone tropical Alex é, desde 1978, o primeiro a formar-se em janeiro, de acordo com o National Hurricane Center, sediado em Miami, Estados Unidos da América”.

“É, também, apenas o quarto conhecido no mês de janeiro desde que há registos, ou seja, desde 1851”, afirmou Vanda Costa, acrescentando que “nas próximas horas o IPMA prevê emitir avisos meteorológicos de acordo com o evoluir da situação”.