O medicamento mais famoso contra a disfunção erétil vai ter, a partir desta terça-feira, um genérico no mercado português, que custará pelo menos metade do fármaco com nome comercial.

Trata-se do Viagra, nome comercial da substância ativa Sildenafil, medicamento à venda em Portugal desde 1998 e um dos mais «copiados» em todo o mundo.

Apesar de só a partir de hoje ser possível existirem outros medicamentos com esta substância ativa no mercado, em virtude da perda de patente, existiram nestes últimos anos vários genéricos comercializados, e que foram sendo retirados do mercado graças a ações nos tribunais, interpostas pelo laboratório responsável, a Pfizer.

A aproximação da data da perda de patente levou a uma «corrida» aos pedidos de Autorização de Introdução de Mercado (AIM).

Dados da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed), a que a agência Lusa teve acesso, indicam que neste momento 45 medicamentos genéricos da substância ativa Sildenafil têm AIM.

O mesmo organismo adiantou que dois titulares de AIM de medicamentos genéricos de Sildenafil notificaram o início de comercialização para janeiro de 2014.

Fonte da Pfizer indicou que este laboratório também vai comercializar um genérico do Sildenafil.

Dados da consultora IMS Health, fornecidos à Lusa pela Pfizer, indicam que, em 2012, foram vendidas 129.052 unidades de Viagra, movimentado 3.901.268 euros.

No ano passado, entre janeiro e novembro, foram vendidas 127.445 unidades, num total de 3.864.217 euros.