26 de fevereiro de 2009. Nascia um projeto ambicioso no espaço dos media em Portugal. O país atravessava uma das mais séries crises financeiras da sua história, a troika ainda não tinha sido chamada para colocar as contas em ordem e o flagelo do desemprego não era avassalador. Ninguém sabia o que nos esperava e todos antecipavam o fracasso da TVI24.

Cinco anos depois, esta é a derradeira prova de que é possível lançar projetos jornalísticos de sucesso em Portugal, desde que sejam bem estruturados e pensados para estar com a mesma força em todas as plataformas. Foi assim desde o início e agora começam a surgir os frutos desse esforço, com a liderança a ser beliscada.

A TVI24 não é só um projeto de televisão. É antes um modelo de informação montado para a televisão, a internet, as redes sociais e o mobile. Se hoje os números são importantes, com o canal a conseguir ombrear com a SIC Notícias e o site a afirmar-se claramente como líder entre as televisões, não deixa de ser essencial sublinhar o trabalho de fundo realizado para cativar espectadores e leitores.

Nos estudos televisivos um dos grandes debates da atualidade assenta na forma como o produto é consumido, destacando o conceito de «second screen» (segundo ecrã). Muito resumidamente, dada a profusão de dispostivos eletrónicos móveis, nomeadamente os smartphones e os tablets, é cada vez mais frequente que alguém que esteja a assistir a um programa de televisão também esteja a comentar no Facebook, a tuitar ou a ver fotos no Instagram.

Esse segundo ecrã é onde os projetos jornalísticas também querem estar e neste campo a TVI24 não deixou de ser pioneira, sendo o primeiro canal de televisão a desenvolver aplicações para ipad e iphone, posteriomente para android e windows. A evolução nesta área é rápida e muitas vezes voraz, pelo que toda a estratégia tem sido pensada para o mobile, permitindo que possa consultar as principais notícias do tvi24.pt em qualquer dispositivo móvel sem sequer precisar de instalar uma aplicação, simplesmente porque o site adapta-se ao ecrã.

O sucesso da TVI24 passou por momentos tão definidores como a primeiríssima palavra, dita por Henrique Garcia, o acompanhamento da crise política e económica que afetou Portugal nos últimos anos, a cobertura de acontecimentos internacionais (como o terramoto do Haiti ou as eleições dos Estados Unidos) e um olhar muito atento ao desporto, com a transmissão de jogos da Taça da Liga e a cobertura integral da Liga dos Campeões. Entre muitos outros acontecimentos de última hora.

Se regressarmos aos números só temos razões para ficar entusiasmados com os resultados de 2014. Em janeiro a TVI24 conseguiu cativar 436 mil espectadores para assistir à emissão histórica do Portugal-Coreia do Norte (Mundial de 1966) e foi, pela primeira vez, o canal de notícias mais visto no horário nobre - entre as 20 e as 24 horas, a TVI24 teve um contacto diário de 792 mil espectadores.

O tvi24.pt recebeu durante estes cinco anos 228 milhões de visitas, num total de 679 milhões de páginas vistas. Janeiro de 2014 fica na história como o melhor mês de sempre, com quase sete milhões de visitas, sendo que 1,8 milhões vieram de telemóveis e tablets. Para além de Portugal, recebeu visitas muito relevantes de Portugal, Brasil, Suíça, Estados Unidos. Inglaterra, França, Alemanha, Espanha, Angola e Luxemburgo. O melhor dia do mês foi 6 de janeiro, com o funeral de Eusébio.

Se chegou até este ponto do texto é porque está mesmo interessado e pode imaginar os desafios que a redação enfrenta. Hoje, na TVI24, não só temos de ter jornalistas no terreno, estar atentos às agências e à concorrência, mas também somos obrigados a olhar com total atenção para as redes sociais. Até porque é lá que estão grande parte dos nossos espectadores/leitores, como acontece no Facebook, onde a tvi24.pt tem mais de 150 mil fãs.

Um sucesso só alcançável com a «autorização» de quem nos vê e lê todos os dias.