O Tribunal Administrativo e Fiscal (TAF) do Funchal deferiu uma providência cautelar interposta por sindicatos, para impedir a realização da prova de avaliação dos professores, informou a Federação Nacional dos Professores (Fenprof).

Prova dos professores é hoje mas Fenprof fala em adesão total à greve

Cordão humano em Coimbra para «travar» prova dos professores



Em comunicado, a que a Lusa teve acesso, a estrutura sindical, que interpôs a providência cautelar para anular a prova por a considerar ilegal, explica que a decisão do TAF tem a data de quinta-feira e que o Ministério da Educação tem agora dez dias para «deduzir oposição».



Como a avaliação está marcada para quarta-feira, o Governo tem até à hora do início da prova para «apresentar resolução fundamentada» junto do Tribunal, diz o sindicato.



A Fenprof, segundo o comunicado, tinha pedido a anulação da prova de conhecimentos marcada para quarta-feira.



A situação «reforça a necessidade» de os professores, na quarta-feira, «realizarem uma greve a todo o serviço relacionado com a aplicação» da prova, «pois a partir de agora também no plano jurídico se adensam dúvidas quanto à sua ilegalidade».



Sindicatos da área da educação têm criticado a realização de uma prova de conhecimentos de professores com menos de cinco anos de carreira. A Fenprof marcou uma greve para quarta-feira, dia de realização da prova.



Recorde-se que outros dois tribunais não deram razão aos sindicatos.