A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou esta quarta-feira ao início da tarde que, devido à previsão de mau tempo, poderão ocorrer cheias nas bacias dos rios Lima, Cávado, Tâmega, Vouga, Mondego e Tejo.

De acordo com um comunicado hoje divulgado pela ANPC, as bacias dos rios Lima, Cávado, Tâmega, Vouga, Mondego e Tejo estão «suscetíveis à ocorrência de cheias, nas zonas historicamente vulneráveis».

A Proteção Civil, citando o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), alerta que se prevê que o vento sopre forte, a cerca de 50 quilómetros por hora (km/h), «temporariamente acompanhado de rajadas com intensidades a variar entre 100-120km/h, em especial nas regiões do litoral Norte e Centro, e nas terras altas».

O IPMA prevê ainda a queda de precipitação «persistente, localmente intensa nas regiões do Minho e Douro Litoral» e agitação Marítima forte, com ondulação a variar entre os cinco e os sete metros na costa ocidental, prevendo-se que possa atingir entre os 10 a 13 metros de altura máxima.

Tendo em conta as previsões meteorológicas, a ANPC alerta, entre outras situações, para a «possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem»; para «possíveis acidentes na orla costeira», «intoxicações por inalação de gases, por inadequada ventilação em habitações onde se utilizem aquecimentos com lareiras e braseiras».

A ANPC recomenda «a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas», que os automobilistas pratiquem uma «condução defensiva» e que se evite «atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas».