Os prejuízos provocados pelo tornado da madrugada de sábado, em Paredes, ascendem a 5,5 milhões de euros, adiantou à Lusa fonte da proteção civil municipal.

Os dados são ainda preliminares e resultam do levantamento que os serviços da autarquia de Paredes e da proteção civil estão a realizar no terreno.

O presidente da câmara, Celso Ferreira, reuniu-se esta manhã com os vereadores da sua equipa para preparar a reunião do executivo desta segunda-feira à tarde, na qual se prevê que possam ser aprovadas as primeiras medidas de apoio às cerca de 60 pessoas desalojadas. Os presidentes de junta vão assistir aos trabalhos.

Segundo a fonte, continuam a chegar aos serviços da autarquia dados atualizados sobre os prejuízos em habitações e instalações de cinco empresas.

«Os telefones não param de tocar», contou.

Nas próximas horas, deverá estar concluído o dossiê que sustentará o pedido da câmara ao Governo para que seja declarada a situação de calamidade pública.

O tornado foi sentido pouco depois das 03:00 de sábado e danificou uma centena de edifícios nas freguesias de Lordelo, Vilela, Duas Igrejas e Sobrosa, numa extensão de cerca de cinco quilómetros.

Os danos também foram observados no cemitério e igreja matriz da localidade de Duas Igrejas e na cobertura do pavilhão desportivo da Escola Secundária de Vilela.

Vários automóveis também foram afetados pela intempérie.