A interdição a banhos na praia do Cabedelinho, na Figueira da Foz, vai manter-se pelo menos até quarta-feira, dia em que deverão ser conhecidos os resultados das novas análises realizadas pelas entidades competentes, informou nesta segunda-feira a autoridade marítima.

A praia, situada no rio Mondego, junto à barra, entre os molhes sul e interior sul do Porto da Figueira da Foz e muito procurada para atividades de iniciação a desportos de ondas, está interdita a banhos desde o dia 1 de julho devido a contaminação microbiológica por resíduos desconhecidos, que determinou o hasteamento permanente da bandeira vermelha.

«Hoje foram feitas novas recolhas para análise e, por uma questão de precaução, a autoridade de saúde manteve a recomendação da interdição até os resultados serem conhecidos», disse à agência Lusa Paulo Inácio, comandante do Porto da Figueira da Foz.

Aquando da interdição, foi identificada no rio, junto àquela praia, uma substância pastosa, de origem desconhecida e, na sequência das análises efetuadas, verificou-se «um elevado índice bacteriológico» passível de causar problemas de pele ou, caso a água fosse ingerida, problemas intestinais, explicou o comandante do Porto.

Paulo Inácio disse ainda que a situação «está confinada» à praia do Cabedelinho e que o outro areal, também situado na embocadura do rio Mondego, mas na margem direita, entre o molhe norte e interior norte, apresentou nas análises «resultados perfeitamente normais», estando aberto aos banhistas.