Os portugueses gastaram mais de 162 milhões de euros com medicamentos no primeiro trimestre deste ano, um aumento de 4,9% em relação ao mesmo período de 2013, enquanto os encargos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) cresceram 5,4%.

Segundo o relatório da monitorização mensal do consumo de medicamentos fora dos hospitais, a que a agência Lusa teve acesso, nesta quinta-feira, entre janeiro e março deste ano foram vendidas mais 4,9% de embalagens de medicamentos nas farmácias, num total superior a 37 milhões de embalagens.

Os gastos do SNS cresceram 5,4% no primeiro trimestre, o que representa mais 14,5 milhões de euros de encargos de um total de 284,18 milhões de euros despendidos.

Os antidiabéticos orais são os medicamentos que mais peso representam no encargo do SNS, com 13,2% do mercado.

Também os portugueses gastaram mais dinheiro em medicamentos, vendo os seus encargos a crescer em 4,9%. Nos primeiros três meses de 2014, os utentes deixaram nas farmácias mais de 162 milhões de euros, quando no mesmo período do ano anterior tinham gasto menos de 155 milhões de euros.

A nível hospitalar, no primeiro trimestre deste ano, a despesa do SNS com medicamentos diminuiu 6,7%, segundo os dados oficiais que já tinham sido apresentados em maio.

Hoje, o Infarmed divulgou os dados da despesa com medicamentos hospitalares até abril, que regista uma diminuição de 5,1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

«Desde maio de 2013 observa-se um decréscimo da despesa hospitalar, que decorre, provavelmente, das medidas implementadas relativas à definição e revisão dos preços dos medicamentos hospitalares assim como do acordo estabelecido entre o Ministério da Saúde e a indústria farmacêutica», refere o documento.