Oitenta jovens vão disputar a partir de quarta-feira o título de «Jovem Talento da Gastronomia», um concurso que pretende proporcionar novas experiências e aprendizagens aos futuros profissionais do setor, anunciou a organização.

O concurso anual, que decorre pela terceira vez, pretende apurar os melhores talentos nas categorias de Artes da Mesa, Barmen, Cozinha, Pastelaria e Harmonizações com Cerveja.

Na competição, consoante a categoria em que concorrem, os jovens terão de «preparar cocktails obrigatórios, saber apresentar ao cliente um queijo, um prato ou um vinho português, ou preparar um prato para harmonizar com cerveja», disse à Lusa Paulo Amado, da Inter-Magazine ¿ Edições do Gosto, que promove o «Jovem Talento da Gastronomia 2014» (JTG¿14).

«O concurso é um lugar de experiências. Os jovens profissionais do futuro estão perante aqueles que já são profissionais consolidados e estão à procura de aprender», explicou o responsável, acrescentando que os prémios também proporcionam essa aprendizagem, quer através de estágios em Portugal ou de um curso na «prestigiada escola ALMA Experience», em Itália, onde «vão ter oportunidade de ter acesso a outro tipo de ensinamentos».

Segundo a organização, a edição deste ano motivou «centenas de candidaturas nas diversas categorias», pelo que foi necessária uma triagem prévia para apurar os 80 participantes.

«Este é um sinal dos tempos. As profissões da hotelaria têm suscitado grande interesse, maioritariamente as que têm a ver com a cozinha. Este ano tivemos centenas de inscrições de jovens de todo o país, que estão à procura de complementar o seu futuro profissional com o acesso a um tipo de experiência que os leva para fora das paredes das escolas, para poderem provar aquilo que já sabem, num espírito de partilha», afirmou Paulo Amado.

Para o responsável, esta nova geração de cozinheiro tem muita «vontade de aprender e a aprendizagem faz-se dentro e fora de portas».

A competição, em que participam 80 concorrentes, decorre em três etapas, sendo a primeira esta quarta-feira na Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal. Seguem-se as etapas em Lousada (Externato Senhora do Carmo), no dia 14, e em Fátima (Escola de Hotelaria), no dia 21 de maio.

A final nacional está agendada para novembro e contará com a presença de 34 finalistas.

A cozinha em Portugal está a mudar, com cada vez mais licenciados noutras áreas a procurarem-na como saída profissional e a valorizarem os produtos e receitas nacionais, disse o responsável do concurso Jovem Talento da Gastronomia».

Nos últimos anos tem-se observado um aumento da procura das escolas de hotelaria e turismo, quer da rede pública quer de privadas, explicou à Lusa Paulo Amado.

«Há dezenas de escolas de hotelaria espalhadas pelo país, que proporcionam aos estudantes, quer do interior quer do litoral, acesso a profissões de elevado interesse para a economia e com boas perspetivas de futuro. Na conjuntura como a atual, têm tido bastante adesão», afirmou.

Para o responsável, esta realidade está atualmente «em desenho» um «novo perfil de profissional da restauração».

«As circunstâncias económicas atuais levam a que muitos dos que procuram emprego não encontrem na área que estudaram, ou então optam pela sua área do coração, aquela área que desejavam e que podem não ter seguido» inicialmente nos estudos, acabando por procurar a área da restauração, disse Paulo Amado.

Atualmente «saem cozinheiros das escolas de hotelaria, com boa formação, e que já vêm licenciados de outras áreas», portanto jovens que voltaram atrás nos seus estudos para terem a formação-base de cozinha.

Há «uma outra geração de profissionais de cozinha já com mais bagagem para enfrentar os conhecimentos-base de cozinha».