Funcionários da Câmara do Porto, dos Sapadores Bombeiros e da Polícia Marítima estão desde o início da manhã a proceder à limpeza da zona que na segunda-feira foi varrida por uma onda gigante na foz do Douro.

Os trabalhos estão a incidir sobretudo na zona da praia da Ourigo, onde se concentram muitos detritos, a maior parte de madeira.

Parte do restaurante Chis ficou destruída, encontrando-se o entulho amontoado na areia da praia do Ourigo.

Testemunhas contaram à TVI que a onda gigante deu a sensação «de um tsunami».

Segundo o comandante da Policia Municipal, Leitão da Silva, o trânsito na marginal apenas será reaberto ao final do dia.

A ondulação do mar continua muito forte, mas esta manhã já é possível ver o areal.

Cerca de duas dezenas de curiosos estão atrás da barreira de segurança colocada pela autarquia a observar os trabalhos de remoção de lixo.

No distrito do Porto, um dos mais atingidos pelo mau tempo, o Centro Distrital de Operações de Socorro disse à Lusa que não há registo de danos causados pelo mau tempo e pela forte ondulação do mar durante a madrugada de hoje.

Contudo, o CDOS referiu que, por precaução, mantêm-se encerradas ao trânsito várias vias da orla costeira nas zonas do Porto e Matosinhos, onde na segunda-feira se registaram várias ocorrências.

«O ponto alto da maré ocorreu cerca das 07:10, por isso prevemos que a situação possa melhorar. Depois, é preciso fazer a limpeza das vias por causa do que aconteceu segunda-feira», disse a fonte.

Contactada pela Lusa, fonte da Polícia Marítima da Capitania do Porto de Leixões disse que mantêm equipas no terreno, mas referiu que não se prevê que possam ocorrer situações idênticas às de segunda-feira.

Segunda-feira, à tarde, dezenas de carros foram arrastados e danificados pelo mar na zona da foz do Douro o que obrigou as autoridades a efetuar alargamentos sucessivos do perímetro de segurança devido à intensidade das ondas, que continuavam a galgar os muros da marginal portuense.

A entrada do mar pela estrada também causou escoriações e hipotermia em várias pessoas, como recorda a Lusa.