Os serviços de salvamento marítimo retomaram este sábado as buscas para encontrar os dois pescadores desaparecidos na passada quinta-feira no naufrágio do arrastão «Mar Nosso», em Espanha, que permanece afundado a cerca de 170 metros de profundidade.

Veja aqui: Sobrevivente português do naufrágio descreve momentos trágicos.

Segundo fontes do Salvamento Marítimo, foram deslocados para o local do naufrágio, a 20 milhas ao norte da ria de Navia, nas Astúrias, um helicóptero Helimer 212 e o navio Salvamar Capella, que serão substituídos ao longo do dia por aeronaves do Principado e da Junta da Galiza e por Alonso de Chaves.

Os sete sobreviventes do naufrágio regressaram na sexta-feira a casa, após terem recebido alta médica dos hospitais onde estavam internados, enquanto as famílias dos três pescadores portugueses que morreram estão em Gijón à espera que os corpos sejam transladados hoje para Portugal.

Os funerais deverão realizar-se na segunda-feira em Caxinas e Vila do Conde, disse na sexta-feira à Lusa o mestre José Festas, presidente da Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar.

As causas do naufrágio do arrastão português «Mar Nosso», nas Astúrias, continuam por esclarecer, mas José Festas disse que podem estar ligadas a um «excesso de carga» quando recolhia redes, como disse à Lusa.