O funeral do ex-presidente da Metro do Porto, economista e professor da Faculdade de Economia do Porto, Manuel Oliveira Marques, que morreu domingo, realiza-se na terça-feira, para o Cemitério do Prado do Repouso, no Porto.

Fonte da família indicou que o seu corpo ficará em câmara ardente, na antiga casa de seus pais, doada à paróquia, que se situa junto à Igreja Matriz em Vilar de Andorinho, Vila Nova de Gaia, a partir das 15:00 de hoje.

As cerimónias fúnebres estão marcadas para as 15:00 de terça-feira na Igreja Matriz de Vilar de Andorinho, seguindo para o Cemitério Prado do Repouso, no Porto.

O gestor conduziu a Metro do Porto entre julho de 2000 e março de 2008 enquanto presidente da Comissão Executiva, mas o percurso profissional de Oliveira Marques iniciou-se, em 1965, com 15 anos, na Salvador Caetano. Permaneceu na empresa enquanto estudava e saiu como chefe da contabilidade diretamente para a docência, na Universidade do Porto.

Nascido em 1950, conseguiu doutorar-se em Finanças Empresariais na Escócia, apesar de nunca se ter dedicado exclusivamente à carreira académica.

Do seu currículo constam passagens pela administração de mais de uma dezena de instituições, desde a banca, aos seguros, passando por outros ramos como a saúde e o imobiliário.

No final da década de 90 passou a presidir à administração da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto, cargo que acumulou com um lugar na direção do Metro do Porto, até 2000, altura em que foi nomeado presidente da comissão executiva desta empresa.

Manuel Oliveira Marques morreu domingo vítima de cancro, escreve a Lusa.