Milhares de professores devem encher esta segunda-feira os centros de emprego de norte a sul do país. Tratam-se de docentes sem vínculo ao ministério da Educação que vão pedir subsídio de desemprego, porque o contrato com o Estado terminou na passada sexta-feira.

Até agora, a lista de colocações ainda não foi divulgada. Por isso, não sabem se este ano letivo voltam a dar aulas.

A Associação Nacional dos Professores contratados estima que nestas condições estarão cerca de oito mil docentes.

As aulas começam entre os dias 11 e 15 deste mês.

Esta é uma situação que ocorre pelo segundo ano consecutivo. Também no ano passado, a 2 de setembro, milhares de professores pediram subsídio de desemprego.

A lista de colocação foi conhecida dez dias depois, com retroativos a 1 de setembro e os professores tiveram de devolver o valor recebido.

Em 2013 foram colocados cerca de cinco mil e 500 professores contratados, menos 2 mil que no ano anterior.

O ministério da Educação garante que está a ajustar o número de professores às reais necessidades do sistema.