Catorze mortos, menos oito do que em 2013, 65 feridos graves e 1.097 feridos ligeiros é o balanço das quatro fases da «Operação Hermes», a última das quais terminou na segunda-feira, anunciou a GNR.

Durante a operação Hermes 2014 - que decorreu entre 13 de julho e 01 de setembro - registaram-se 2.858 acidentes, mais 132 do que em 2013, dos quais resultaram 65 feridos graves, menos dois do que em 2013, e 1.097 feridos ligeiros, menos 103 do que no ano passado, lê-se numa nota da Guarda Nacional Republicana (GNR).

A Operação Hermes visa garantir uma deslocação em segurança aos cidadãos que se seguem em viatura própria para locais de veraneio e/ou eventos de diversa natureza próprios desta altura do ano.

Na quarta fase da operação, realizada de 29 de agosto a 01 de setembro, estiveram mobilizados 4.549 militares da Unidade Territorial de Trânsito e dos comandos territoriais que fiscalizaram 17.627 condutores, acrescenta a nota.

Das 6.488 infrações detetadas nesta fase, 1.966 deveram-se a excesso de velocidade, 503 a condução sob efeito de álcool, 315 a não utilização de cintos de segurança ou de sistema de retenção para crianças, 302 devido a falta de inspeção periódica da viatura, 290 relacionaram-se com utilização de telemóvel durante a condução e 127 a falta de seguro da viatura.

Manobras perigosas de ultrapassagem, mudanças de direção, inversões do sentido de marcha, cedência de passagem e distâncias de segurança, condução sem habilitações legais e não utilização do cinto de segurança, como acrescenta à Lusa.