Mais de três mil alunos do 4.º ano chumbaram a Matemática e mais de 1.500 a Português, depois de frequentarem aulas de apoio e não terem conseguido nota positiva na 2.ª fase das provas finais.

Os dados dos resultados da 2.ª fase das provas finais do 1.º ciclo foram divulgados esta sexta-feira, pelo Ministério da Educação e Ciência (MEC), e não significam a retenção de ano destes alunos, uma vez que basta a aprovação a uma das disciplinas para transitar para o 2.º ciclo.

Dos 2.443 alunos inscritos nas provas finais do 1.º ciclo (4.º ano) de Português, 62% chumbaram à disciplina, por não terem conseguido uma nota igual ou superior a nível três, primeiro nível positivo, num total de cinco (escala de um a cinco).

Já a Matemática, dos 3.569 inscritos, apenas 23% (467) conseguiram ficar aprovados, e 2.183 alunos (61%) tiveram uma nota negativa de nível dois.

«Relativamente ao ano transato, verifica-se um aumento da percentagem de alunos com classificações superiores a nível dois na prova de Português, de 7% para 38%. Quanto à prova de Matemática, observa-se uma diminuição de 22% para 13%», refere o MEC em comunicado.

São obrigados a ir à 2.ª fase de exames todos os alunos que não obtenham aprovação às disciplinas de Português ou Matemática no final do ano, ou que, tendo classificação final negativa em ambas, no final do ano, se encontrem em risco de chumbar.

Sendo sobretudo um momento de recuperação de notas, que se segue a um período de aulas e acompanhamento extraordinário com o objetivo de ajudar a superar as dificuldades dos alunos, houve, ainda assim, algumas notas do nível mais alto da escala, pela qual são classificados os alunos do 4.º ano: três provas a Português e 10 a Matemática foram classificadas com nível cinco.

Para os que não conseguiram aprovação, o MEC frisa em comunicado que «o impacto dessas notas na passagem de ciclo só será conhecido após a sua análise pela escola, à luz das demais classificações dos alunos».

«Oportunamente serão divulgados indicadores que ilustram o efeito da realização da 2.ª fase das provas finais do 1.º e 2.º ciclo do ensino básico na taxa de retenção dos alunos», refere também o Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), em comunicado sobre os resultados hoje divulgados.