A madrugada desta terça-feira não registou ocorrências significativas, depois de no final da tarde e noite de segunda-feira várias regiões do país terem sido atingidas pelo mau tempo, com ondas gigantes a provocar estragos de norte a sul.

De acordo com fonte do Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS), a noite no litoral do país foi «tranquila sem ocorrências dignas de registo» depois de segunda-feira se terem registado alguns problemas sobretudo nas zonas costeiras.

No distrito do Porto, um dos mais atingidos pelo mau tempo, o Centro Distrital de Operações de Socorro disse à Lusa que não há registo de danos causados pelo mau tempo e pela forte ondulação do mar durante a madrugada.

Contudo, o CDOS referiu que por precaução mantêm-se encerradas ao trânsito várias vias da orla costeira nas zonas do Porto e Matosinhos, onde segunda-feira se registaram vários incidentes.

«O ponto alto da maré ocorreu cerca das 07:10, por isso prevemos que a partir desta hora a situação possa melhorar. Depois é preciso fazer a limpeza das vias por causa do que aconteceu segunda-feira», disse a fonte.

De acordo com o CDOS, as vias deverão reabrir ao trânsito cerca das 10:00.

Contactada pela Lusa, fonte da Polícia Marítima da Capitania do Porto de Leixões disse que mantém duas equipas no terreno, mas referiu que não se prevê que possam ocorrer situações idênticas às de segunda-feira.

Segunda-feira à tarde, dezenas de carros foram arrastados e danificados pelo mar na zona da foz do Douro o que obrigou as autoridades a efetuar alargamentos sucessivos do perímetro de segurança devido à intensidade das ondas, que continuavam a galgar os muros da marginal portuense.

A entrada do mar pela estrada adentro também causou escoriações e hipotermia em várias pessoas. Todas receberam cuidados por parte do Instituto Nacional de Emergência Médica.

Mais a sul, em Carcavelos, a força do mar provocou estragos em restaurantes da praia de Carcavelos e o encerramento do paredão do Estoril, entre a Poça e a Azarujinha (Cascais), e também do passeio marítimo de Oeiras.

De acordo com o comandante da Polícia Marítima de Cascais, Dario Moreira, o mar avançou para a Pastorinha (Cascais), partiu os vidros da esplanada e também causou estragos no bar O Moínho e no bar conhecido como Os Gémeos.

O grupo ocidental e oriental dos Açores mantém-se hoje em aviso amarelo por causa da agitação marítima e da "altura significativa das ondas, depois da forte agitação marítima que assolou os Açores segunda-feira ter provocado vários estragos em zonas balneares do concelho da Ribeira Grande, ilha de São Miguel, prejuízos que o presidente da câmara admitiu que possam chegar aos milhares de euros

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) emitiu na tarde de segunda-feira um aviso à população alertando para a possibilidade de até à meia-noite poderem registar-se ondas com 16 metros na costa ocidental norte e centro de Portugal continental.

A ANPC alertou, em comunicado, para a ocorrência de ¿agitação marítima forte, com ondulação noroeste que poderá atingir os 16 metros na costa ocidental norte e centro e 14 a 15 metros na região sul até às 24:00 de hoje (segunda-feira)¿.

A Marinha Portuguesa alertou também na segunda-feira a comunidade piscatória e as pessoas que circulam junto à orla costeira para a necessidade de cumprirem todos os procedimentos de segurança no mar e junto à costa devido ao mau tempo.

No sul do país, as autoridades marítimas socorreram 12 jovens na praia de Quarteira, que se fizeram ao mar apesar da forte ondulação sentida no Algarve.

A forte ondulação marítima que se fez sentir no Algarve provocou também estragos num bar e fez soltar-se um apoio do molhe norte da entrada da marina de Portimão, refere a Lusa.