O Ministério Público britânico enviou uma carta rogatória à polícia portuguesa a pedir autorização para efetuar três detenções para interrogatório no âmbito do desaparecimento de Madeleine McCann, avançou fonte da Scotland Yard ao «Daily Mirror».

Segundo o mesmo jornal, os agentes da polícia britânica deverão viajar para Portugal em breve para tentar falar com os três homens que terão estado envolvidos numa onda de assaltos à Praia da Luz na altura do desaparecimento de Maddie.

Os investigadores ingleses suspeitam destes assaltantes porque «fizeram várias chamadas telefónicas» uns para os outros depois do desaparecimento.

Estas poderão ser as primeiras detenções desde que a polícia britânica decidiu reabrir o caso.

Um porta-voz de Kate e Gerry salientou que os pais não querem ganhar falsas esperanças, mas admite que este «é um desenvolvimento significativo». «Resta saber se as autoridades portuguesas vão cooperar. É um assunto sensível», acrescentou.

PGR confirma «pedido de auxílio judiciário»

Entretanto, a Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou que recebeu uma nota das autoridades britânicas, informando de que iria dar entrada um «pedido de auxílio judiciário», no caso do desaparecimento da criança inglesa Madeleine Mccann, em maio de 2007, no Algarve.

Na informação hoje à tarde prestada à Lusa, a PGR sublinha que o pedido formal «ainda não deu entrada» na Procuradoria e que «quando tal acontecer, será analisado para efeitos de ser devidamente executado».

Antes, fonte da Polícia Judiciária (PJ) referiu à Lusa que qualquer diligência ou carta rogatória das autoridades britânicas que a PGR receba e remeta para esta polícia terá de obedecer à lei processual penal portuguesa, designadamente se implicarem eventuais detenções de suspeitos para interrogatório.

Artigo atualizado às 19:41