Mais de 97 mil acidentes rodoviários ocorreram este ano nas estradas portuguesas, representando um aumento de 443 em relação ao mesmo período de 2012, mas o número de mortos desceu 14,2 por cento.

Os números são da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) e divulgados por ocasião do Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada, que se assinala este domingo.

Segundo a ANSR, que reúne dados da PSP e da GNR, 97.440 acidentes com vítimas e danos materiais ocorreram entre 01 de janeiro e 07 de novembro, enquanto no mesmo período do ano passado se tinham registado 96.997 acidentes.

Os dados adiantam que os acidentes provocaram 426 vítimas mortais, este ano, menos 14,2 por cento do que em 2012, quando morreram 497 pessoas, no mesmo período.

Os distritos que registam o maior número de acidentes e vítimas mortais são os de Lisboa e Porto, indica a ANSR, sublinhando que os feridos graves diminuíram 8,7 por cento este ano, em relação a 2012.

Segundo a ANSR, 1.616 pessoas ficaram gravemente feridas este ano, contra as 1.770 registadas no mesmo período de 2012.

O Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada, este ano dedicado ao tema «Estradas seguras para todos», é a «evocação pública da memória daqueles que perderam a vida nas estradas e ruas portuguesas, significando um reconhecimento por parte do Estado e da sociedade da trágica dimensão da sinistralidade, e ajuda os sobreviventes a conviver com o trauma de memórias dolorosas resultantes de acidentes rodoviários», refere a ANSR, numa nota.

Segundo a Segurança Rodoviária, este dia responde «à intensa necessidade sentida pelas vítimas e seus familiares de verem a perda e a dor publicamente reconhecidas».

Este ano, a cerimónia nacional vai ter lugar em Viseu e, entre outras ações, vão realizar-se passeios pela cidade em homenagem às vítimas, dinamizados por ciclistas e motociclistas, e uma missa presidida pelo Bispo de Viseu.