O ministro da Saúde garantiu que a população que se quer vacinar contra a gripe vai poder fazê-lo, avançando que o Infarmed deu nesta sexta-feira início a uma ação de fiscalização para saber o que se passa junto das farmácias e dos distribuidores.

«O Infarmed começou hoje uma ação de fiscalização para saber o que se passa junto dos distribuidores e das farmácias e vai ser analisado. O que queremos é que as pessoas que se queiram vacinar tenham acesso às vacinas», disse Paulo Macedo à margem do Seminário Demografia, Natalidade e Políticas Publicas, realizado no Auditório Novo da Assembleia da Republica.

No início do mês, o responsável pela pasta da Saúde já tinha estranhado as falhas de distribuição das vacinas contra a gripe nas farmácias, anunciando a investigação que teve hoje início.

A 1 de novembro, a presidente da Associação de Farmácias de Portugal afirmava que os 150 estabelecimentos que representa, bem como outras que não pertencem à associação, estavam em rutura, indicando haver muitos utentes à espera da vacina.

Paulo Macedo recordou hoje que foram adquiridas «mais de um milhão de vacinas pelo Serviço Nacional de Saúde para os Centros de Saúde», alertando ainda para o facto de as pessoas terem aderido «em massa à vacinação».

«Estamos com índices melhores do que no ano passado. Na parte privada, a oferta das vacinas nas farmácias, o que vemos é que também há um número significativo de pessoas para se vacinarem, mas nessa parte o Infarmed começou hoje uma acção de fiscalização», explicou o ministro.