O INEM atendeu uma média de 3.400 chamadas de emergência por dia no primeiro semestre deste ano, num total de mais de 618 mil contactos, segundo dados divulgados este domingo.

Em relação ao mesmo período do ano passado, foram atendidas mais 34.789 chamadas, o que representa um aumento de seis por cento dos contactos recebidos pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Os telefonemas feitos para o 112 são atendidos primeiro pela PSP, que encaminha para os CODU do INEM as chamadas que digam respeito a situações de emergência médica.

Janeiro e março foram este ano os meses com maior número de chamadas de emergência, enquanto em fevereiro e abril se registou o menor número.

No comunicado hoje divulgado, o INEM aproveita para apelar aos cidadãos para que numa chamada urgente informem a localização exata, o número do qual estão a ligar, o tipo de situação, a idade e sexo das pessoas que necessitam de socorro e as principais queixas e alterações.

«As perguntas colocadas pelos profissionais dos CODU são essenciais na atuação do INEM, pois permitem determinar o tipo de emergência e o meio de socorro mais indicado para dar resposta à situação», lembra o INEM.