Os incêndios florestais consumiram, até final de agosto, uma área de 94.155 hectares, mais 25 por cento do que em igual período de 2012, segundo o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

O último relatório provisório de incêndios florestais do ICNF adianta que, entre 01 de janeiro e 31 de agosto, registaram-se 14.143 ocorrências de fogo, menos 1.690 do que no mesmo período de 2012, que resultaram em 94.155 hectares de área ardida.

Segundo os dados do ICNF, em 2003, 2004, 2005 e 2010 a área ardida até 31 de agosto foi superior aos valores registados este ano.

«Comparando os valores do ano corrente com o histórico dos últimos 10 anos, destaca-se que se registaram menos 15 por cento de ocorrências relativamente à média verificada no decénio e que ardeu menos 20 por cento do que o valor médio de área ardida no mesmo período», lê-se no relatório do ICNF, citado pela Lusa.

O maior incêndio do ano, registado até à data, começou a 09 de julho no concelho de Alfândega da Fé (Bragança) e estima-se que terá consumido uma área de 14.912 hectares, dos quais cerca de 11.980 são espaços florestais, indica o mesmo documento.

Segundo o ICNF, o mês de agosto registou valores superiores às médias dos últimos 10 anos, quer no número de ocorrências quer da correspondente área ardida mensal.

Em agosto registaram-se 7.283 ocorrências de fogo, cerca de 52 por cento do total, que resultaram em 72.284 hectares ardidos, aproximadamente 77 por cento da área consumida pelas chamas até à data.

O documento indica igualmente que o maior número de ocorrências se verificou no distrito do Porto (4.339), seguido de Braga (1.447) e Viseu (1.385), sendo a maioria fogachos, ou seja, incêndios que não ultrapassaram um hectare de área ardida.

Viseu é o distrito com mais área ardida consumida pelas chamas registando, até 31 de agosto, cerca de 27.655 hectares de espaços florestais ardidos, seguindo-se Bragança e Vila Real com 18.307 e 18.175 hectares ardidos, respetivamente.

Além do incêndio no distrito de Bragança, registaram-se este ano mais 105 grandes incêndios, com área ardida em espaço florestal maior ou igual a 100 hectares.

Estes 106 incêndios consumiram um total de 79.187 hectares de espaços florestais, cerca de 84 por cento do total da área ardida até 31 de agosto, segundo o último relatório do ICNF.

Da lista dos grandes incêndios fazem parte 40 com área ardida igual ou superior a 500 hectares, aos quais correspondem 65.420 hectares de área ardida em espaços florestais.