O Grupo Auchan esclareceu esta sexta-feira que nada tem a ver com a «exploração e gestão» da clínica médica instalada no Almada Fórum e que apenas cedeu o espaço para a instalação daquela unidade de saúde privada.

«Ao contrário do que tem sido transmitido, não é o grupo Auchan que está a lançar esta área de negócio, apenas ofereceu o espaço para a instalação deste novo conceito, que já existe nos Estados Unidos e na Escandinávia», disse à Lusa o assessor de imprensa do grupo.

De acordo com a mesma fonte, a clínica é propriedade da empresa Saúde 3.0 e está instalada no Almada Fórum desde julho deste ano.

O Conselho Nacional Executivo da Ordem dos Médicos (CNE) denunciou, em comunicado, a intenção de «um grupo de retalho em investir na abertura de clínicas médicas nas respetivas superfícies comerciais, uma forma de 'vender gato por lebre' e transformar a medicina num mero comércio, que será potencialmente prejudicial aos doentes».

Na nota emitida na sequência de uma notícia do jornal «Público», a Ordem dos Médicos afirma que «o referido grupo económico tem já uma experiência piloto no terreno, em que um enfermeiro procede à avaliação clínica do doente e encaminha-o para uma consulta médica por videoconferência».

«Ultrapassando a forma, no mínimo inusitada, como o serviço é disponibilizado ao «cliente», preocupa-nos sobretudo o conteúdo: enfermeiros a praticar atos médicos, como o exame clínico de um doente, e colocar um recurso complementar, como a telemedicina, a servir como primeira linha de diagnóstico, sem possibilidade de intervenção terapêutica ou emissão de receituário, atenta contra as mais básicas orientações da boa prática clínica¿, considera.

A agência Lusa tentou obter esclarecimentos junto do proprietário da clínica, mas sem sucesso até ao momento.