O Ministro da Saúde, Paulo Macedo, disse este sábado em Almada que está a ser preparado um plano para combater a toxicodependência, face ao aumento de 70% que se verificou nos atendimentos em unidades terapêuticas.

«Nós temos fatores na área da toxicodependência que têm tido uma evolução positiva na última década, temos outros que nos preocupam», disse.

Paulo Macedo comentava a notícia avançada hoje pelo semanário Expresso, de acordo com dados do relatório dobra a situação da droga em Portugal relativo a 2012, que aponta para um aumento significativo do consumo de drogas nos últimos anos.

«Num período tão longo (dez anos), há questões relacionadas com a economia, como o desemprego, que tem fenómenos de ligação, mas também há outras questões, culturais e sociais», justificou.

«O que nós temos que ver - é para isso que temos um plano - é como temos de atacar [a toxicodependência] nas diversas vertentes», acrescentou Paulo Macedo, sem avançar qualquer medida concreta do referido plano de combate à toxicodependência.

O Expresso adianta que os dados recolhidos pelo Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD) referem que, em 2012, o número total de toxicodependentes em tratamento chegou aos 38.900, mais dez mil do que em 2003.

Na mesma notícia, o diretor do SICAD, José Goulão, afirma que a recessão está a provocar um abuso das drogas e uma alteração dos padrões de consumo, com um regresso à heroína, que descreve como uma droga associada ao alívio do sofrimento e que, ao contrário de outras, não tem fins recreativos.