A Fundação Mata do Bussaco venceu este domingo o Prémio Manuel António da Mota, no valor de 50 mil euros e este ano dedicado ao Ano Europeu dos Cidadãos, devido aos seus projetos de «ressocialização integrada e corresponsável de reclusos».

A entrega do prémio decorreu no Palácio da Bolsa, no Porto, com a participação do ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, do presidente da Mota-Engil, António Mota, do ex-comissário europeu António Vitorino, e da presidente do Conselho de Curadores da Fundação Manuel António da Mota, Manuela Eanes.

A Fundação Mata do Bussaco dedica-se à gestão de todo o património natural e edificado da mata nacional e nos últimos anos destacou-se pela sua «atuação ao nível da conservação da biodiversidade do património natural sob a sua gestão e pela sua política de responsabilidade social», explica a Fundação Manuel António da Mota.

Essa política envolve «diversos públicos» e promove o «voluntariado nas atividades de conservação» e a sensibilização para a importância do património da Fundação Mata do Bussaco no contexto regional e nacional.

O organismo visa a recuperação, requalificação e revitalização, gestão, exploração e conservação de todo o património, natural e edificado da Mata Nacional do Buçaco, que atualmente ocupa 105 hectares e possui cerca de 250 espécies de árvores e arbustos.

No seu perímetro encontram-se, nomeadamente, o conhecido Palace Hotel do Bussaco e o Convento de Santa Cruz.

Foram distinguidas também a Associação CAIS, a Associação Portuguesa de Música nos Hospitais e Instituições de Solidariedade, a Câmara de Odivelas, o Centro de Reformados e Idosos do Vale da Amoreira, a Fundação Odemira, a Liga Portuguesa Contra o Cancro, a RUTIS - Associação Rede de Universidades da Terceira Idade, a Startup X - Associação e a Universidade de Aveiro.

O administrador executivo da Fundação Manuel António da Mora, Rui Pedroto, elogiou «as inúmeras iniciativas nacionais empenhadas na difusão do conceito de cidadania europeia e na promoção de projetos nas áreas da educação, emprego, luta contra a exclusão social e nos domínios da inovação e empreendedorismo social».

A quarta edição do Prémio Manuel António da Mota associou-se às iniciativas que concorrem para «impulsionar o debate sobre a cidadania europeia e a divulgação dos direitos de cada um enquanto cidadão europeu».

A Fundação Manuel António da Mota instituiu em 2010 o prémio com o objetivo de reconhecer anualmente organizações e personalidades que se destaquem nos vários domínios de atividade.