O ministro da Saúde, Paulo Macedo, afirmou hoje que o número de casos reportados sobre fraudes no Serviço Nacional de Saúde (SNS) é já superior a 130 milhões de euros, uma vez que os casos «continuam a crescer».

«Nós transmitimos um valor de casos reportados superior a 130 milhões de euros e os casos continuam a crescer em termos do seu reporte às autoridades. O valor será com certeza maior e, sobretudo, tendo em atenção que o Ministério Público recentemente divulgou um conjunto de casos que estão em investigação e ainda não foram concluídos», disse Paulo Macedo.

O ministro falava aos jornalistas à margem de uma conferência sobre estratégias de Saúde em Cascais, reagindo às detenções feitas na terça-feira pela Polícia Judiciária de pessoas ligadas à atividade médica, farmacêutica e da distribuição de medicamentos por fraudes no SNS.

«Estas operações que as autoridades têm estado a desenvolver provam aquilo que já se tem dito, de que há um conjunto de fraudes no Serviço Nacional de Saúde disseminadas e, infelizmente, com alguma diversificação no seu tipo de atuação e com valores muito elevados», afirmou.

Paulo Macedo sublinhou ainda o «mérito das autoridades policiais» pela «eficácia e discrição» nas suas investigações.

Três médicos, dois farmacêuticos, um delegado de informação médica e um empresário ligado ao armazenamento de medicamentos foram detidos na terça-feira. Em causa estão os crimes de corrupção passiva para ato ilícito e burla qualificada (de elevado valor) ao SNS, entre outros ilícitos.