O Santuário de Fátima anunciou neste domingo que cerca de 200 mil pessoas marcaram presença nas celebrações do último dia da uma peregrinação de outubro.

O secretário de Estado do Vaticano, Tarcisio Bertone, disse que o maior desafio da Igreja Católica é a indiferença religiosa, durante a homilia que marcou o último dia da peregrinação de outubro em Fátima.

O cardeal italiano sustentou que uma das soluções passa por atrair a juventude para novos modelos de vida. «Confio-vos o que parece ser hoje a coisa mais importante no serviço da Igreja: o seu forte testemunho de fé diante da hodierna geração de homens e mulheres, tentada pela crescente secularização e indiferença religiosa que grassam por aí», defendeu.

Tarcisio Bertone lembrou o episódio dos videntes de Fátima presos pelo governador de Ourém, definindo-os como «momentos aterradores para três crianças», sobretudo por terem sido «ameaçadas que vão ser lançadas em azeite a ferver».

O secretário de Estado do Vaticano salientou «a graça de uma criança» e «a ousadia de um homem de fé» demonstrada por Francisco para criticar o medo que muitas vezes as pessoas sentem de si próprios porque não sabem «o que fazer com a vida e com os dons que Deus concede». Afinal, «temos medo, porque não confiamos em Deus», concluiu.

Este ano a peregrinação dos dias 12 e 13 de outubro foi marcada pela ausência da imagem de Nossa Senhora de Fátima que é venerada na Capelinha das Aparições.

A imagem original de Nossa Senhora de Fátima marcou presença em Roma, como ícone das Jornadas Marianas, uma das últimas atividades inseridas no calendário oficial da Santa Sé para a celebração do Ano da Fé.

O trânsito na Autoestrada do Norte (A1), no sentido Sul/Norte, estava muito intenso cerca das 11:30, registando-se uma fila de cerca de dois quilómetros na aproximação às portagens de Fátima, segundo a GNR.

Das restantes vias de acesso a Fátima, há a registar trânsito pouco intenso, também na A1 no sentido Norte/Sul, formando uma fila em cerca de 500 metros, segundo a mesma fonte.

À mesma hora, a GNR indicava que os parques de estacionamento na Cova de Iria apresentavam uma taxa de ocupação de 100%.