Os enfermeiros do hospital de Santarém iniciam esta terça-feira uma greve de quatro dias em protesto contra o incumprimento dos horários de trabalho e pela rápida admissão de mais profissionais naquela unidade de saúde.

A presidente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), Guadalupe Simões, disse à agência Lusa que o que está em causa é a «falta de 170 enfermeiros» naquele hospital, «quando deveria ter um quadro com 570 profissionais», e a consequente «rutura nos serviços prestados ao nível dos serviços de urgência e internamento, a rutura iminente nos cuidados intensivos, e um caos instalado no serviço de medicina».

A dirigente sindical apontou como motivos para a realização da greve o «incumprimento dos horários legais de trabalho, a exigência de uma rápida admissão de mais profissionais naquela unidade de saúde, e o pagamento do trabalho extraordinário», entre outras questões.

A dirigente sindical destacou ainda «a escassez e a redução do número de elementos por turno», uma situação que, destacou, «dá origem a uma carga excessiva de trabalho» aos enfermeiros.

Organizada pelo SEP, a greve tem início hoje, a partir das 08:00, e prolongar-se-á até às 24:00 de dia 22 de agosto, sexta-feira.