As emissões de dióxido de carbono diminuíram 2,5% em 2013 na União Europeia, relativamente ao ano anterior, mas aumentaram 3,6% em Portugal, um dos valores mais elevados entre os seis Estados-membros que registaram subidas, revela o Eurostat que a Lusa cita.

De acordo com os dados preliminares sobre emissões de dióxido de carbono (CO2) para o ano de 2013, publicados hoje pelo gabinete de estatísticas da União Europeia, estas desceram em 22 Estados-membros, tendo aumentado apenas na Dinamarca (6,8%), na Estónia (4,4%), em Portugal (3,6%), na Alemanha (2%), em França (0,6%) e na Polónia (0,3%).

De 2012 para 2013, Portugal aumentou o nível de emissões em termos absolutos de 45,280 milhões de toneladas para 46,919 milhões, sendo o décimo terceiro Estado-membro com valores mais elevados.

Os países com maiores emissões de CO2 são a Alemanha (760 milhões de toneladas), o Reino Unido (455 milhões), a França (346 milhões), a Itália (342 milhões), a Polónia (290 milhões), a Espanha (224 milhões) e os Países Baixos (162 milhões).

O Eurostat refere que estes sete Estados-membros foram responsáveis por 77% das emissões da União Europeia em 2013.

Chipre (-14,7%), a Roménia (-14,6%), a Espanha (-12,6%), a Eslovénia (-12%), a Bulgária e a Grécia (-10,2%) foram os países que alcançaram maiores reduções nas emissões no ano passado.