A Direção-Geral da Administração da Justiça pediu esta sexta-feira a todos os utilizadores do Citius que não pratiquem «quaisquer atos no sistema informático» e que salvaguardem, «em sistema digital autónomo, todos os atos praticados» neste sistema, «após 1 de Setembro».

Em comunicado dirigido aos administradores judiciários, a que agência Lusa teve acesso, a Direção-Geral da Administração da Justiça (DGAJ) solicita que a recomendação seja efetivada «até ao final do dia de hoje», abrangendo, com a recomendação, «gravações, alarmes e detalhes dos intervenientes que tenha sido objeto de alteração».

A recomendação não abrange os tribunais de competência territorial alargada.

Dos juízes aos magistrados do Ministério Público, dos advogados aos funcionários judiciais, a semana foi pautada por críticas à reforma do mapa judiciário que entrou em vigor, acrescido do sistema informático que serve de ferramente de trabalho a todos estar «em baixo».