O Ministério Público deduziu acusação contra um dos gangues mais violentos dos últimos anos. São 10 os suspeitos, na casa dos 30 anos, responsabilizados por 18 explosões a caixas multibanco.

Para além disso, são acusados de assaltar ourivesarias e automóveis, nalguns casos com grande violência contra os proprietários.

Contam os procuradores do Departamento Central de Investigação e Ação Penal que a moda foi introduzida por gangues estrangeiros, que rapidamente encontraram imitadores portugueses.

O grupo falhou o objetivo em pelo menos 10 das explosões. Uma vez reduziram a cinzas 36 mil euros em notas e noutra ocasião arrasaram paredes para sacar apenas 100 euros.

O DCIAP acusa agora 10 homens, entre os 26 e os 32 anos, da região de Setúbal, de terem assaltado 18 multibancos com recurso a explosivos, duas ourivesarias e nove carros, quase todos topo de gama, muitas vezes com grande violência contra os proprietários, ameaçados com armas de fogo.

Crimes de furto e de dano qualificado, de explosão e incêndio com perigo doloso de pessoas e bens e de associação criminosa.

Se forem dados como provados, dificilmente os arguidos se safarão com penas inferiores a 10 ou 12 anos de prisão.