A criminalidade violenta e grave na área de intervenção da PSP diminuiu 9,4 por cento no primeiro semestre do ano, em relação ao mesmo período de 2012, indicam dados daquela força de segurança.

Também a criminalidade geral diminuiu, nos seis primeiros meses do ano, 8,7 por cento, tendo a PSP registado 90.408 crimes, contra os 98.990 denunciados durante os primeiros seis meses do ano passado, adiantam os mesmos dados, a que agência Lusa teve acesso.

Segundo a Polícia de Segurança Pública, foram registados 7.244 crimes violentos e graves no primeiro semestre, enquanto nos mesmos meses de 2012 ocorreram 7.992.

Para estes números contribuíram as descidas dos crimes de homicídio (menos sete), roubos de viaturas (menos 34) e roubo por esticão (menos 500).

Apesar de a criminalidade violenta e grave ter diminuído nos seis primeiros meses do ano, a PSP registou aumentos nos assaltos a bombas de gasolina (mais 30), estações de correio (mais 10) e bancos (mais quatro).

Quanto à criminalidade geral, a Polícia de Segurança Pública registou também uma subida nos furtos de metais não preciosos (mais 400).

As descidas ocorreram nos furtos em supermercados (menos 264), em residências com arrombamentos (menos 800) e em veículos (menos 1.300).

O porta-voz da PSP, subintendente Paulo Flor, disse à Lusa que a descida da criminalidade é generalizada a todos os distritos do país.

Paulo Flor afirmou também que os crimes contra o património são os que representam maior peso na área de intervenção da PSP, que normalmente atua nos grandes centros urbanos.

A criminalidade geral representa 92 por cento do total dos crimes da área da PSP, dizendo oito por cento respeito aos crimes graves e violentos.

No primeiro semestre do ano, a PSP deteve quase 11.500 pessoas, menos duas mil do que nos mesmos meses de 2012.