No processo brasileiro em que Duarte Lima está acusado pelo homicídio de Rosalina Ribeiro, o juiz de Saquarema enviou uma carta rogatória para Portugal com o interrogatório dirigido ao arguido.

Na carta, que o Ministério da Justiça brasileiro ainda terá de enviar à Procuradoria-Geral da República portuguesa, estão todas as perguntas que o juiz pretende ver respondidas.

O ex-deputado está acusado de matar a antiga companheira do milionário Lúcio Thomé Feteira, por alegadamente esta se ter recusado a ilibá-lo do desvio de 5 milhões de euros da herança Feteira. O crime terá ocorrido a 7 de dezembro de 2009 em Saquarema, perto do Rio de Janeiro.

O juiz de Saquarema ainda não decidiu se leva o caso a julgamento.

Esta tarde, à margem do julgamento em que responde por burla ao BPN, Duarte Lima disse aos jornalistas que desta vez irá responder à carta rogatória do Brasil porque, ao contrário do que tinha acontecido até então, já teve acesso a todo o processo.

Contudo, para as câmaras, o arguido limitou-se a dizer que ainda não foi notificado para interrogatório.